Publicado em Livros

Quinze Dias

Já faz tempo que não escrevo aqui, mas como comecei a fazer faculdade de novo, estou meio enrolada com meus horários. Nesse meio tempo (desde o último post), eu larguei Louco ou Cruel? porque não estava no clima, li Quinze dias e comecei Ecos, ou seja, já era pra ter feito esse post há tempos!

Eu já acompanho o canal do Vitor Martins há algum tempo e quando vi a sinopse do livro dele fiquei louca pra ler. Eu tinha comprado pra Maratona Literária, mas acabou demorando um pouco pra chegar. No final, acabou virando meu último livro da maratona e encerrou com chave de ouro!

Sinopse:

Felipe está esperando por esse momento desde que as aulas começaram: o início das férias de julho. Finalmente ele vai poder passar alguns dias longe da escola e dos colegas que o maltratam. Os planos envolvem se afundar nos episódios atrasados de suas séries favoritas, colocar a leitura em dia e aprender com tutoriais no YouTube coisas novas que ele nunca vai colocar em prática.

Mas as coisas fogem um pouco do controle quando a mãe de Felipe informa que concordou em hospedar Caio, o vizinho do 57, por longos quinze dias, enquanto os pais dele estão viajando. Felipe entra em desespero porque a) Caio foi sua primeira paixãozinha na infância (e existe uma grande possibilidade dessa paixão não ter passado até hoje) e b) Felipe coleciona uma lista infinita de inseguranças e não tem a menor ideia de como interagir com o vizinho.

Os dias que prometiam paz, tranquilidade e maratonas épicas de Netflix acabam trazendo um turbilhão de sentimentos, que obrigarão Felipe a mergulhar em todas as questões mal resolvidas que ele tem consigo mesmo.

Eu amei os personagens desse livro! Eu me identifiquei tanto com o Felipe! Eu tenho muitas das neuroses e inseguranças dele, principalmente a da piscina! É incrível quando você se identifica e entende o personagem. Parece que conseguimos nos envolver muito mais na história. O Caio é um amor! Quando ele junta com a mãe do Felipe, então… Eu amei todos os personagens!

A escrita do Vitor é muito gostosa. Ele escreve de uma forma que parece que realmente o Felipe está te contando a história dele em uma conversa casual. Eu ri muito enquanto lia. Tinha umas sacadas muito boas e várias referências de cultura pop. Adorei isso.

O livro é bem rapidinho de ler (umas 300 páginas) e cada capítulo é um dia desses quinze que o Caio passa na casa do Felipe. Isso te obriga a pelo menos terminar o capítulo para encerrar o dia, só que não dá pra ler só um dia, você quer ler tudo!

Enfim, o livro é gostoso, fofo, engraçada e principalmente inclusivo! Temática LGBT e o personagem principal é gordo! Não tem coisa mais difícil do que achar protagonista gordo, ainda mais gordo e gay! Por mais livros assim!!

Ah! E o final é lindo demais! ❤ ❤ ❤ Eu tenho uma grande crítica a histórias LGBT que terminam de forma triste (a maioria das que eu li). Por mais histórias LGBT com finais FELIZES!!! Grata!

 

Anúncios
Publicado em Livros

Aristóteles e Dante #MLI2017

Oficialmente a Maratona Literária de Inverno 2017 encerra hoje e eu tenho orgulho em dizer que flopei por apenas um livro! Eu achei que não ia conseguir ler metade do que li, então apesar de não ter lido tudo, ter faltado apenas um livro é um motivo de orgulho!

Agora vamos falar do motivo de eu ter flopado: Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo. Sim, esse foi o motivo do meu flop, porque quando terminei fiquei em uma ressaca literária tão forte (a primeira que eu tenho em muito tempo) que não consegui ler mais NADA. O próximo livro da maratona seria o Louco ou Cruel? da Ilana Casoy, mas sair de um livro tão amorzinho como esse e ir pra outro de serial killers é um pouco difícil. Então, mesmo tentando, não rolou. Resolvi então mudar para Quinze Dias do Vitor Martins, que substituía o desafio do autor nacional, mas não deu tempo…

Vamos começar com a sinopse do livro pra quem não ter a menor ideia do que se trata:

Em um verão tedioso, os jovens Aristóteles e Dante são unidos pelo acaso e, embora sejam completamente diferentes um do outro, iniciam uma amizade especial, do tipo que muda a vida das pessoas e dura para sempre. E é através dessa amizade que Ari e Dante vão descobrir mais sobre si mesmos – e sobre o tipo de pessoa que querem ser.
Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão.
Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas – e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.

Continuar lendo “Aristóteles e Dante #MLI2017”