#TBR Novembro

#TBR Novembro

  1. A longa viagem a um pequeno planeta hostil – Becky Chambers
  2. Uma Sombra Ardente e Brilhante – Jessica Cluess
  3. Harry Potter and the Prisioner of Azkaban – J.K. Rowling
Anúncios
Publicado em Livros

Filha das Trevas

Desde que a Mayra fez um vídeo falando desse livro, eu já estava bem interessada em ler, então, quando esse livro veio no Turista Literário de agosto, nem preciso dizer o quanto eu fiquei animada!

Lada Dragwlya e o irmão mais novo, Radu, foram arrancados de seu lar em Valáquia e abandonados pelo pai – o famigerado Vlad Dracul – para crescer na corte otomana. Desde então, Lada aprendeu que a chave para a sobrevivência é não seguir as regras. E, com uma espada invisível ameaçando os irmãos a cada passo, eles são obrigados a agir como peças de um jogo: a mesma linhagem que os torna nobres também os torna alvo.

Lada despreza os otomanos. Em silêncio, planeja o retorno a Valáquia para reclamar aquilo que é seu. Radu, por outro lado, quer apenas se sentir seguro, seja onde for. E quando eles conhecem Mehmed, o audacioso e solitário filho do sultão, Radu acredita ter encontrado uma amizade verdadeira – e Lada vislumbra alguém que, por fim, parece merecedor de sua devoção.

Mas Mehmed é herdeiro do mesmo império contra o qual Lada jurou vingança – e que Radu tomou como lar. Juntos, Lada, Radu e Mehmed formam um tóxico e inebriante triângulo que tensiona ao limite os laços do amor e da lealdade.

Gente, o livro é um reconto da história de Vlad, o empalador, no qual ele é uma mulher. Tem como esse livro não ser maravilhoso??? Foi excelente bater minha meta de leitura do ano com esse livro!

A Lada é uma personagem incrível! Ela mostra bem como seria mais ou menos a situação de uma mulher na posição dela, naquela época do Império Otomano. O Radu é um personagem encantador! Eu amei esse menino! O fato dele ser o personagem gay da história também ajuda muito, mas é incrível comprar a doçura e o tato dele com a agressividade e grosseria da Lada.

O Mehmed é um personagem complicado pra mim, porque teve momentos que eu amei e que eu odiei ele. Entendi a maioria das posturas que ele teve, principalmente por ele ser o sultão e um sultão desacreditado. Mas meu ship é com o Radu e não com a Lada… hahahahahahaha

Bem, minha avaliação desse livro foi de 4,5 estrelas, porque eu achei que a história demora um pouco a engatar. A maioria das cenas da infância da Lada e do Radu são importantes para a construção da personalidade deles, mas tiveram algumas coisas que eu achei que poderiam ter tirado.

Apesar de já saber como essa história vai terminar (se você conhece a história do Vlad, assim como eu, já imagina o final), estou ansiosa pra continuação e pra saber que rumo a autora vai tomar!

Plataforma21, já estamos aguardando o lançamento da continuação!

Souls and thrones are irreconcilable.”

Kiersten White – Filha das Trevas

Publicado em Livros

Ecos

Eu ando tão louca de coisa pra fazer que já fazem séculos que eu não escrevo aqui e já acumulei dois livros pra falar!

Ecos da Pam Muñoz Ryan foi o livro do mês de julho do Turista Literário. Na história, acompanhamos três crianças que têm em comum duas coisas: a música e a guerra.

A aventura começa cinquenta anos antes da Primeira Guerra Mundial — “a guerra para acabar com todas as guerras” —, quando o pequeno Otto se perde na Floresta Negra e encontra as três irmãs encantadas, prisioneiras de uma velha bruxa, que conhecia apenas das páginas de um livro, e acreditava ser apenas uma lenda.

Como em um passe de mágica, as irmãs ajudam o garoto a encontrar o caminho de casa. E Otto promete libertá-las, levando o espírito das três dentro de uma inusitada gaita de boca.

Ao longo dos anos, o instrumento chega à mão de novos donos: um menino que vê o sonho de se tornar músico interrompido pela ascensão do nazismo; um jovem pianista prodígio que vive num orfanato e luta para não ser separado do irmão caçula; uma filha de imigrantes mexicanos que cuidam de uma casa de japoneses enviados a um campo de concentração dentro dos Estados Unidos, durante a Segunda Guerra Mundial.

Apesar de ter esse tom de realismo mágico, eu confesso que praticamente me esqueci dessa lenda das três irmãs na gaita. A história de cada uma das crianças te evolve tanto, que você quer saber o que vai acontecer com elas e se esquece um pouco da gaita.

A história é divida em quatro partes. Cada uma delas é a história de uma das crianças e todas elas terminam em um clímax que você quer ler logo o resto pra saber o que aconteceu! Sei que muita gente colocou como ponto fraco do livro exatamente este clímax no qual as histórias terminam, alegando que quebra o ritmo do que você está lendo. Eu entendo isso, mas pra mim, foi exatamente esse ponto que me deixou mais curiosa e tentada a continuar lendo.

Na última parte, todas as histórias se unem de forma incrível, porém eu acho que a autora poderia ter trabalhado um pouco melhor o final. Tive a impressão que depois de toda a construção de cada uma das histórias, o final foi extremamente rápido! Como se ela tivesse um limite de páginas e tivesse que resumir o final pra caber. Este foi o motivo pelo qual eu tirei uma estrela do livro na minha avaliação do Goodreads e Skoob.

Avaliação final: ✩✩✩✩

Music does not have a race or a disposition! Every instrument has a voice that contributes. Music is a universal language. A universal religion of sorts. Certainly it’s my religion. Music surpasses all distinctions between people.”

Pam Muñoz Ryan – Ecos

#TBR Setembro

#TBR Setembro

  1. Ecos – Pam Muños Ryan
  2. A Filha das Trevas – Kiersten White
  3. The Two Towers – J.R.R. Tolkien
  4. Harry Potter and the Prisioner of Azkaban – J.K. Rowling
Publicado em Livros

Quinze Dias

Já faz tempo que não escrevo aqui, mas como comecei a fazer faculdade de novo, estou meio enrolada com meus horários. Nesse meio tempo (desde o último post), eu larguei Louco ou Cruel? porque não estava no clima, li Quinze dias e comecei Ecos, ou seja, já era pra ter feito esse post há tempos!

Eu já acompanho o canal do Vitor Martins há algum tempo e quando vi a sinopse do livro dele fiquei louca pra ler. Eu tinha comprado pra Maratona Literária, mas acabou demorando um pouco pra chegar. No final, acabou virando meu último livro da maratona e encerrou com chave de ouro!

Sinopse:

Felipe está esperando por esse momento desde que as aulas começaram: o início das férias de julho. Finalmente ele vai poder passar alguns dias longe da escola e dos colegas que o maltratam. Os planos envolvem se afundar nos episódios atrasados de suas séries favoritas, colocar a leitura em dia e aprender com tutoriais no YouTube coisas novas que ele nunca vai colocar em prática.

Mas as coisas fogem um pouco do controle quando a mãe de Felipe informa que concordou em hospedar Caio, o vizinho do 57, por longos quinze dias, enquanto os pais dele estão viajando. Felipe entra em desespero porque a) Caio foi sua primeira paixãozinha na infância (e existe uma grande possibilidade dessa paixão não ter passado até hoje) e b) Felipe coleciona uma lista infinita de inseguranças e não tem a menor ideia de como interagir com o vizinho.

Os dias que prometiam paz, tranquilidade e maratonas épicas de Netflix acabam trazendo um turbilhão de sentimentos, que obrigarão Felipe a mergulhar em todas as questões mal resolvidas que ele tem consigo mesmo.

Eu amei os personagens desse livro! Eu me identifiquei tanto com o Felipe! Eu tenho muitas das neuroses e inseguranças dele, principalmente a da piscina! É incrível quando você se identifica e entende o personagem. Parece que conseguimos nos envolver muito mais na história. O Caio é um amor! Quando ele junta com a mãe do Felipe, então… Eu amei todos os personagens!

A escrita do Vitor é muito gostosa. Ele escreve de uma forma que parece que realmente o Felipe está te contando a história dele em uma conversa casual. Eu ri muito enquanto lia. Tinha umas sacadas muito boas e várias referências de cultura pop. Adorei isso.

O livro é bem rapidinho de ler (umas 300 páginas) e cada capítulo é um dia desses quinze que o Caio passa na casa do Felipe. Isso te obriga a pelo menos terminar o capítulo para encerrar o dia, só que não dá pra ler só um dia, você quer ler tudo!

Enfim, o livro é gostoso, fofo, engraçada e principalmente inclusivo! Temática LGBT e o personagem principal é gordo! Não tem coisa mais difícil do que achar protagonista gordo, ainda mais gordo e gay! Por mais livros assim!!

Ah! E o final é lindo demais! ❤ ❤ ❤ Eu tenho uma grande crítica a histórias LGBT que terminam de forma triste (a maioria das que eu li). Por mais histórias LGBT com finais FELIZES!!! Grata!

 

Publicado em Livros

Aristóteles e Dante #MLI2017

Oficialmente a Maratona Literária de Inverno 2017 encerra hoje e eu tenho orgulho em dizer que flopei por apenas um livro! Eu achei que não ia conseguir ler metade do que li, então apesar de não ter lido tudo, ter faltado apenas um livro é um motivo de orgulho!

Agora vamos falar do motivo de eu ter flopado: Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo. Sim, esse foi o motivo do meu flop, porque quando terminei fiquei em uma ressaca literária tão forte (a primeira que eu tenho em muito tempo) que não consegui ler mais NADA. O próximo livro da maratona seria o Louco ou Cruel? da Ilana Casoy, mas sair de um livro tão amorzinho como esse e ir pra outro de serial killers é um pouco difícil. Então, mesmo tentando, não rolou. Resolvi então mudar para Quinze Dias do Vitor Martins, que substituía o desafio do autor nacional, mas não deu tempo…

Vamos começar com a sinopse do livro pra quem não ter a menor ideia do que se trata:

Em um verão tedioso, os jovens Aristóteles e Dante são unidos pelo acaso e, embora sejam completamente diferentes um do outro, iniciam uma amizade especial, do tipo que muda a vida das pessoas e dura para sempre. E é através dessa amizade que Ari e Dante vão descobrir mais sobre si mesmos – e sobre o tipo de pessoa que querem ser.
Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão.
Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas – e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.

Continuar lendo “Aristóteles e Dante #MLI2017”

Publicado em Livros

Três Coroas Negras #MLI2017

E não é que as leituras estão rendendo?

Nesta madrugada (li até às 5h!!!) eu terminei Três Coroas Negras da Kendare Blake. Já fazia algum tempo que este livro estava me chamando atenção na livraria, então quando ele entrou na leitura conjunta da #MLI2017, comprei na Amazon Day e já coloquei nas leituras da maratona. Mesmo ele sendo o último livro da TBR, comecei a ler logo para intercalar entre os dois livros do Benjamin Alire Sáenz.

Eu não sabia muito bem sobre o que se tratava o livro, só sabia que era sobre três irmãs que disputariam um trono e que teria muita intriga política nesse meio. Isso foi muito bom, porque a sinopse oficial (agora que li) não descreve bem o livro e, particularmente, acho que poder dar certa expectativa que pode te frustrar depois. Então vou contar mais ou menos a história do meu ponto de vista.

Realmente a história trata de trigêmeas que foram separadas ainda crianças para futuramente disputarem o trono da ilha Fennbirn. Cada irmã é criada por uma espécie de clã: Mirabella é criada pelos elementais, que manipulam os 4 elementos; Arsinoe é criada pelos naturalistas, que controlam plantas e animais; e Katharine criada pelos envenenadores, manipuladores de venenos. Aos 16 anos, as três precisam “lutar” entre si e a que conseguir matar as outras duas se torna rainha.

Continuar lendo “Três Coroas Negras #MLI2017”

Publicado em Livros

A Lógica Inexplicável da Minha Vida #MLI2017

Vamos falar a quantas anda a Maratona Literária de Inverno! Depois de ter tido uma semana meio parada devido a visitas em casa, finalmente consegui terminar meu primeiro (e segundo) livro da maratona!

A lógica inexplicável da minha vida do Benjamin Alire Sáenz vei na malinha de aniversário do Turista Literário, a capa veio até personalizada (editora Seguinte sua linda)! Coisa linda! Apesar disso, coloquei a capa original porque acho mais bonita.

Quanto ao livro, antes de falar qualquer coisa vou colocar a sinopse aqui embaixo:

Salvador levava uma vida tranquila e descomplicada ao lado de seu pai adotivo gay e de Sam, sua melhor amiga. Porém, o último ano do ensino médio vem acompanhado de mudanças sobre as quais o garoto não tem nenhum controle, como ímpetos de raiva que ele não costumava sentir. Além disso, Salvador tem que lidar com a iminente morte da avó, com uma tragédia repentina que acontece na vida de Sam e com o fato de seu pai estar se reaproximando de um ex-namorado. Em meio a esse turbilhão de sentimentos, que vão do luto ao amor e da amizade à solidão, Sal passa a questionar sua própria origem e identidade, e tenta encontrar alguma lógica para a sua vida – uma tarefa que parece quase impossível.

Continuar lendo “A Lógica Inexplicável da Minha Vida #MLI2017”